Relacionamentos impossíveis


         Pode parecer um titulo pessimista, mas se pensarmos racionalmente algumas vezes nos deparamos com relacionamentos impossíveis.

          Para mim existem relações que não tem a menor chance de dar certo, e aqui não estamos falando de exigências, ou de príncipes encantados, estamos falando de preferências, e em alguns casos, simplesmente cedo ou tarde estas preferências irão tornar a relação impossível.

            Você conhece alguém, um affaire em potencial, então relembra mentalmente aquele discurso de que devemos dar chance às pessoas de se mostrarem, de que mesmo com gostos um pouco opostos vocês podem encontrar afinidades. Ok, você quer conhecer alguém, quer dar uma chance, mas há situações em que mesmo que você tenha gostado da pessoa ela não bate com nenhuma das suas preferências, você gosta de acampar, ela de hotéis de luxo, você gosta de admirar o pôr-do-sol, ela nem da bola para isso, você gosta de rock e até é bem eclética, mas ela só ouve sertanejo, você gosta de barzinho, ela só curte balada.

            Aí você relembra mais uma vez os discursos prontos, de que a primeira impressão nem sempre é a que fica, de que temos que estar abertos a coisas novas, e eu concordo com tudo isso, mas há momentos em que devemos ser racionais, será que lá na frente quando este relacionamento já obtiver seus próprios desgastes, estas discrepâncias de gostos não serão o desencadeador de argumentos maldosos, sobre mudar pelo outro, abrir mão pelo outro, será que isso não irá coloca-los em níveis diferentes, e estes níveis não se tornarão intransponíveis?

Ajude o Quem diria gurias a crescer e compartilhe este post nas redes sociais!

Você também pode gostar:

            É possível sim conviver com as diferenças, mas existem situações que a mim incomodariam, de uma forma que eu não conseguiria lidar, não consigo lidar com homens que supervalorizam o corpo, não consigo lidar com ostentação exacerbada, não consigo lidar com quem não perde tempo lendo um livro, não consigo lidar com quem não tem interesse em conhecer uma cidade nova, não consigo lidar com quem não acha graça em ver o sol nascer na praia, são coisas como estas que definitivamente eu não consigo lidar, e se o pretendente me disser que passa o final de semana jogando GTA, ou comendo só miojo, desculpem mas eu não consigo lidar.

            Prefiro acreditar que existam relacionamentos que são impossíveis.

Nos sigam lá gente

Insta – @quemdiriagurias

Fanpage – Quem diria gurias

Insta Camila – @lilanomundo


Camila Amaral

Sobre Camila Amaral

Não tenho uma história bonita pra contar, de que comecei a escrever poesia com nove anos, ou que respiro porque escrevo. Sempre gostei muito de ler, e sempre gostei muito de contar histórias, mas escrever, escrever mesmo, só se tornou recorrente quando me prontifiquei a materializar esse projeto, que hoje é meu, mas também é das minhas amigas, que tanto insistiram e me fizeram prometer que ele existiria. Mas vejo, nesse pouco tempo, que comecei a passar minhas ideias e histórias para o papel, como isso tem me feito bem, e tem me ajudado nessa busca diária de me tornar um ser humano melhor, mais cheia de alma, e mais cheia de calma, percebo como isso tem me feito enxergar o que antes não via, e observar o comportamento das pessoas infinitas vezes mais que antes. Meus escritos sempre tem muito de mim, mas também tem muito do que eu observo, ouço, aprecio e absorvo por aí, um pouco fruto da realidade, um tanto fruto da imaginação. Designer de Moda por formação, sempre pronta pra me reinventar e começar de novo, graças a Deus ideias e sonhos não tem prazo de validade, e nem limite de utilização. Sou privilegiada pelas muitas “famílias” que tenho e que ganhei ao longo dos meus vinte e poucos, me sinto especial quando percebo o tanto de gente incrível me rodeia, e são esses seres mágicos, os lugares, os cheiros, gostos, os sabores, as dores, e as alegrias, os sonhos e as realizações, o dia-a-dia e o excepcional que me inspiram e servem como fonte infinita para escrever e contar pra vocês um pouquinho de como eu enxergo esse mundão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *