Portugal #Coimbra


       Então surge a primeira cidade “grande” desta categoria, hehe, brincadeiras a parte, Coimbra chega cheia de charme e beleza, mas também com traços mais marcantes de cidade, a paisagem perde a cara de “vila” e dá espaço a mais prédios, mais modernidade, mais miscigênia, e as peculiaridades que cidades maiores têm.

Coimbra s2

        O ônibus saiu atrasado de Leiria, porque estava tendo um evento da polícia, desembarcamos em Coimbra em torno das 11h30min, o dia estava bem bonito, mas tinha um vento friozinho, o primeiro destino foi suuubiiiirrr toda a ladeira até a Universidade de Coimbra , e bota subida nisso.

Mas o prêmio lá em cima é compensador, a Universidade e sua grandiosidade, poder ver a cidade de cima e admirar todas aquelas construções de mais de um século, seus detalhes e a imensidão que exercem. A Universidade de Coimbra é datada de 1290, sendo a primeira Universidade de Portugal e uma das mais antigas do mundo.

Pátio interno da Universidade de Coimbra, prédio da conhecida Faculdade de Direito!

         A Universidade conta hoje com mais de 22 mil alunos, e em 2015 completou 725 anos, foi em 2013 que passou a integrar o Patrimônio Mundial da Unesco. Então impossível ficar indiferente estando dentro destes prédios tão cheios de histórias, ao mesmo tempo que estava ali conhecendo tudo, havia uma turma de formandos indo colar o grau, e ter consciência da magnitude de participar disso é indescritível.

       Mas deixando este momento nostálgico pra depois, não podemos esquecer que tendo uma Universidade destes porte, temos muitos jovens, e onde há muitos jovens, há muitas opiniões, rebeldias e verdades absolutas, portanto Coimbra tem seu caráter universitário como forte característica, desde as festas até as Repúblicas, que tem inclusive marcação no mapa turístico da cidade.

Rota das Repúblicas

       Inclusive tem uma festa chamada Queima das fitas  que vai acontecer em Maio, não da para dizer que é uma festa, pois é uma semana de evento, este ano será do dia 5 ao dia 12 de maio, e pretendo ver pessoalmente o que vai rolar, parece ser muito divertido, pois a “Queima das fitas” é um evento de finalização do curso que se está estudando, em Coimbra os estudantes tem fitas presas as pastas quando estão concluindo a graduação, começou há muitos anos atrás, e hoje se tornou um grande evento com repercussão Nacional, que envolve toda a comunidade, não só a acadêmica.

          Depois de esmiuçar a universidade, conheci a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, que cá entre nós, abriga uma quantidade exorbitante de ouro, talvez vindo das Américas, hehe, mas de fato uma Igreja riquíssima, e onde estava tendo um batizado. Depois passamos pelo Colégio de Santo Agostinho, que abriga a Faculdade de Ciências e Psicologia da Universidade, também  pude admirar o Aqueduto de São Sebastião, também conhecido por Arcos do Jardim, por costearem o Jardim Botânico da cidade.

Igreja de Nossa Senhora do Carmo

Aqueduto de São Sebastião, uma grandiosidade!

       A Fonte Nova ou Fonte dos Judeus, constitui um dos limites da Judiaria, pois a construção do Portugal cristão teve que ser “negociada” com a comunidade judaica que já existia, datada de 1137, passou por restaurações posteriormente, ela fica localizada em frente ao Jardim da Manga, ela tem trabalhos em pedra que a tornam muito detalhada e bonita, apesar de passar muitas vezes despercebida por quem transita por ali.

Fonte Nova

           Reza a lenda que o Jardim da Manga, leva este nome porque o esboço de sua construção teria sido feito na manga da capa do Rei D. João III. Mas se trata de uma lenda, dizem que talvez para justificar o nome estranho dado a obra, dizem também que se trata de uma das primeiras construções renascentistas de Portugal, hoje o Jardim não tem o cuidado que merece, parece um tanto abandonado, mas sua beleza ainda se faz presente.

Jardim da Manga

       Lembram que eu falei do Prêmio Bolo Rei, no post de Ourém? Ele apareceu de novo em Coimbra, a Pastelaria Briosa é uma grande arrematadora de prêmios, neste dia não experimentei o Bolo Rei deles, pois tinha muita gente, pois acredito que sua fama corre pela boca do povo.

       Agora pensa numa criança grande, sim euzinha, Camila Amaral, não soube lidar com esse lugar, Portugal dos Pequenitos é a coisa mais divertida, linda e minúscula que eu já conheci até agora, gente, sério, eu era a mais feliz, apesar de já estar muito cansada do passeio, eu amei muito, é uma viagem a Portugal em miniatura.

Pedindo perdão pelos meus pecados (heheh na igreja em miniatura não sei se da conta!) e agradecendo sempre!

Pensa numa pessoa feliz!

      Dentro do Parque, também há diversos museus, dentre eles os que contam as histórias sobre as terras descobertas pelos portugueses, tem um sobre o Brasil inclusive, e este que eu enlouqueci é o Museu do Traje, muito legal, com peças em miniatura e também algumas verdadeiras das vestimentas usadas pelo tempo em Portugal.

As rotas dos navios que exploravam os continentes!

       Como vocês podem ver é muuuiito pequeno, eu que sou suuuper alta (sqn) tinha que andar abaixada, e uma curiosidade muito legal é que ele começa pequeno, mas quanto mais se vai para o fundo do parque, menores ficam as construções!

Sim, eu não parei de tirar fotos, me sentia um gigante como nas histórias!

       Bom povo, eu poderia escrever muuito mais sobre Coimbra, e tem muitas coisas que nem consegui ver na cidade, que terá que ficar para uma próxima visita, mas espero que vocês tenham gostado, eu amei, a cidade é linda, viva, cheia de gente! E estou providenciando um post sobre as semanas acadêmicas deles, porque vale a pena, e Coimbra é uma grande referência, também sabe-se fazer festa em Portugal! Então é isso, me mandem sugestões, comentários, críticas!

Um Beijo

Camila Amaral

Nos sigam lá gente

Insta – @quemdiriagurias

Fanpage – Quem diria gurias

Insta Camila – @lilaemsanta

 

 


Camila Amaral

Sobre Camila Amaral

Não tenho uma história bonita pra contar, de que comecei a escrever poesia com nove anos, ou que respiro porque escrevo. Sempre gostei muito de ler, e sempre gostei muito de contar histórias, mas escrever, escrever mesmo, só se tornou recorrente quando me prontifiquei a materializar esse projeto, que hoje é meu, mas também é das minhas amigas, que tanto insistiram e me fizeram prometer que ele existiria. Mas vejo, nesse pouco tempo, que comecei a passar minhas ideias e histórias para o papel, como isso tem me feito bem, e tem me ajudado nessa busca diária de me tornar um ser humano melhor, mais cheia de alma, e mais cheia de calma, percebo como isso tem me feito enxergar o que antes não via, e observar o comportamento das pessoas infinitas vezes mais que antes. Meus escritos sempre tem muito de mim, mas também tem muito do que eu observo, ouço, aprecio e absorvo por aí, um pouco fruto da realidade, um tanto fruto da imaginação. Designer de Moda por formação, sempre pronta pra me reinventar e começar de novo, graças a Deus ideias e sonhos não tem prazo de validade, e nem limite de utilização. Sou privilegiada pelas muitas “famílias” que tenho e que ganhei ao longo dos meus vinte e poucos, me sinto especial quando percebo o tanto de gente incrível me rodeia, e são esses seres mágicos, os lugares, os cheiros, gostos, os sabores, as dores, e as alegrias, os sonhos e as realizações, o dia-a-dia e o excepcional que me inspiram e servem como fonte infinita para escrever e contar pra vocês um pouquinho de como eu enxergo esse mundão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *