Minhas angústias


     

     Quando aceitei escrever, quando me convenci de que deveria dividir meus pensamentos com aqueles que tivessem interesse em lê-los, fui tomada pela angústia que tinha me feito evitar essa decisão até aqui.

       Escrever, inevitavelmente significa dar a chave para que as pessoas tenham acesso ao seu íntimo, impossível separar as coisas, por mais que nem sempre escreva sobre minhas próprias experiências, são elas que guiam meus pensamentos, são elas que alicerçam meus ideais, inevitavelmente são elas que me constituem, e constituem minhas escritas.

       Tinha medo de expressar opiniões dúbias algumas vezes, pois minha cabeça aflita de quando em vez mistura sentimentos, muda opiniões, e conforme as experiências surgem, um oceano de informações cruzam minha mente e a força dessa correnteza de pensamentos vai fazendo com que as novas experiências se misturem com as antigas, e façam de mim uma página nova para começar do zero.

      Espero que essa realmente seja minha verdade, e quem gostar de ler minhas reflexões, saiba que elas poderão mudar, pois não sou dona de veracidade alguma, e saber que as coisas mudam não é admitir fraqueza, deixemos de ser conservadores a ponto de ter opiniões definitivas, pois quando surgirem ideias que valham apena fazerem parte das minhas convicções, terei bom grado em recebê-las.

       Quero ser a minha verdade, ou mesmo uma mentira bem humorada, quero contar coisas boas, e também causos ruins, quero dividir minhas experiências e também minhas falhas, e dizer que nem tudo o que eu escrevo significa minha atuação fervorosa, como bom ser humano que se preze, sou recheada de defeitos, e é difícil lidar com eles, mas o importante é ter consciência de que existem, e buscar sempre uma constante evolução, um policiamento diário para chegar mais perto do meu ideal.

       Mas sem utopias, não quero ser perfeita, quero ser real, com meus pecados e minhas autopunições, pedindo e agradecendo, sabendo que há muito mais nesse mundo do que serei capaz de ver, mas que vou ver tudo que eu puder, que há muito mais informações do que posso assimilar, mas eu vou buscar o máximo que conseguir, existem mais pessoas do que posso calcular, mas vou estar aqui para ouvir todas as histórias das que quiserem me contar, porque é disso que me alimento, de viver intensamente tudo o que esta vida pode me proporcionar, no fim das contas, minhas angústias por vezes me travarão, mas também são elas que sempre me colocam em movimento.

 

Nos sigam lá gente

Insta – @quemdiriagurias

Fanpage – Quem diria gurias

Insta Camila – @lilanomundo

 


Camila Amaral

Sobre Camila Amaral

Não tenho uma história bonita pra contar, de que comecei a escrever poesia com nove anos, ou que respiro porque escrevo. Sempre gostei muito de ler, e sempre gostei muito de contar histórias, mas escrever, escrever mesmo, só se tornou recorrente quando me prontifiquei a materializar esse projeto, que hoje é meu, mas também é das minhas amigas, que tanto insistiram e me fizeram prometer que ele existiria. Mas vejo, nesse pouco tempo, que comecei a passar minhas ideias e histórias para o papel, como isso tem me feito bem, e tem me ajudado nessa busca diária de me tornar um ser humano melhor, mais cheia de alma, e mais cheia de calma, percebo como isso tem me feito enxergar o que antes não via, e observar o comportamento das pessoas infinitas vezes mais que antes. Meus escritos sempre tem muito de mim, mas também tem muito do que eu observo, ouço, aprecio e absorvo por aí, um pouco fruto da realidade, um tanto fruto da imaginação. Designer de Moda por formação, sempre pronta pra me reinventar e começar de novo, graças a Deus ideias e sonhos não tem prazo de validade, e nem limite de utilização. Sou privilegiada pelas muitas “famílias” que tenho e que ganhei ao longo dos meus vinte e poucos, me sinto especial quando percebo o tanto de gente incrível me rodeia, e são esses seres mágicos, os lugares, os cheiros, gostos, os sabores, as dores, e as alegrias, os sonhos e as realizações, o dia-a-dia e o excepcional que me inspiram e servem como fonte infinita para escrever e contar pra vocês um pouquinho de como eu enxergo esse mundão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *