Mentiras humoradas


Foto: Mariana Matos

Foto: Mariana Matos

         De onde venho, muitos são adeptos das mentiras humoradas, que são aquelas com o intuito de enganar alguns ouvintes com bobagens e fazer gargalhar os que sabem a verdade. Elas não machucam quando a verdade vem à tona, no máximo fazem rir, e muito.

         Acredito que existem vários tipos de mentiras, existem as que protegem, as que escondem, as que mascaram, as que surpreendem, as que subestimam a inteligência… Porém, em algum momento, por algum motivo todos nós já fizemos uso dos benefícios das mentiras, e contar algumas mentiras, nos torna mentirosos?

       Fomos mentirosos no momento em que mentimos, mas é importante saber quais motivações geraram a mentira, certas coisas, penso eu, prefiro que mintam, certas coisas não conseguimos compreender e doem muito se soubermos a fundo a verdade, assuntos velados, como diria minha vó.

      Alguns assuntos simplesmente nascem com a sina de serem sempre mentiras, assuntos que foram feitos para não serem revelados, nunca serão verdadeiros, sendo assim serão sempre mentira. Mas será que eles se tornariam mais nobres se virassem verdade? Ou se tornariam objetos de tortura e dores desnecessárias?

    Difícil julgar, difícil definir até que ponto algumas mentiras não se tornam mais benéficas do que as verdades, como diria Cazuza “mentiras sinceras me interessam”, de fato interessam, se elas forem usadas para amenizar agonias, para apaziguar ânimos, para esconder vergonhas, para acalmar corações, acho que quando feitas para o bem elas não fazem de todo mal.

    O problema são aqueles que não conseguem assumir suas dificuldades, seus medos, suas derrotas e insatisfações nunca, então se camuflam, se escondem atrás de mentiras, e inventam uma realidade ilusória, que não existe, vivem em um mundo paralelo construído pela frustração de não conseguir lidar com a veracidade. O problema está naquelas mentiras que causarão um terremoto na alma se forem reveladas, mentiras definitivas, que não aceitam argumentação.

     Resta termos discernimento para diferenciar, aquelas que só farão o bem, e aquelas que tem o poder de causar um mal sem tamanho. Mas a mim, se elas forem sinceras, de fato, me interessam.


Camila Amaral

Sobre Camila Amaral

Não tenho uma história bonita pra contar, de que comecei a escrever poesia com nove anos, ou que respiro porque escrevo. Sempre gostei muito de ler, e sempre gostei muito de contar histórias, mas escrever, escrever mesmo, só se tornou recorrente quando me prontifiquei a materializar esse projeto, que hoje é meu, mas também é das minhas amigas, que tanto insistiram e me fizeram prometer que ele existiria. Mas vejo, nesse pouco tempo, que comecei a passar minhas ideias e histórias para o papel, como isso tem me feito bem, e tem me ajudado nessa busca diária de me tornar um ser humano melhor, mais cheia de alma, e mais cheia de calma, percebo como isso tem me feito enxergar o que antes não via, e observar o comportamento das pessoas infinitas vezes mais que antes. Meus escritos sempre tem muito de mim, mas também tem muito do que eu observo, ouço, aprecio e absorvo por aí, um pouco fruto da realidade, um tanto fruto da imaginação. Designer de Moda por formação, sempre pronta pra me reinventar e começar de novo, graças a Deus ideias e sonhos não tem prazo de validade, e nem limite de utilização. Sou privilegiada pelas muitas “famílias” que tenho e que ganhei ao longo dos meus vinte e poucos, me sinto especial quando percebo o tanto de gente incrível me rodeia, e são esses seres mágicos, os lugares, os cheiros, gostos, os sabores, as dores, e as alegrias, os sonhos e as realizações, o dia-a-dia e o excepcional que me inspiram e servem como fonte infinita para escrever e contar pra vocês um pouquinho de como eu enxergo esse mundão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *