Lacunas não precisam ser espaços vazios


       A vida é uma caixinha de surpresas, ou seria de lacunas? Ou de lagunas? Ou de espaços esperando para serem preenchidos, ou para serem novamente cheios. Lacunas não precisam ser sinônimo de espaços vazios. Planejar a vida a longo prazo é como dar tiro no escuro, prever o que se estará fazendo daqui um ano é o mesmo que criar uma tese sem embasamento teórico, não abriremos mão de sonhos, mas permitimo-nos que os planos mudem, que o mundo gire, crie lacunas, des-cubra sensações.

          A forma como encaramos estas surpresas, preenchemos essas lacunas, des-cobrimos estas sensações que são apresentadas na trajetória da vida é que influencia nosso caminho, elas podem se tornar lagunas cheias de realização ou apenas mais um buraco seco, lacunas são falhas no percurso com poder de gerar atalhos para a felicidade, porém se sua obstinação pela rota já traçada, e não lhe permitir alteração, você as encare como pedras no caminho, e faça delas um martírio.

            Mas a vida é justamente isso, uma lacuna da nossa existência que preenchemos vivendo sobre a terra, levá-la rígida demais só irá acarretar frustrações, e encher as lacunas formadas com mágoas e rancor não tornará sua vida melhor, nem mesmo o fará chegar mais perto dos planos anteriormente feitos, mas encontrar as surpresas de coração aberto e livre de pré-conceitos com certeza pode resultar em um novo rumo, que por vezes se tornará melhor que o planejado.

            Não por acaso, laguna deriva da palavra lacuna, que vem do latim, e nada mais é do que um “espaço vago no interior de um corpo”, pois bem, espaços vagos quando preenchidos por água se tornam lagunas, porém se estas lacunas aparecerem em nosso coração, deixemos ela virar nossa laguna e ser preenchida de amor.

 

Camila Amaral

Nos sigam lá gente

Insta – @quemdiriagurias

Fanpage – Quem diria gurias

Insta Camila – @lilanomundo


Camila Amaral

Sobre Camila Amaral

Não tenho uma história bonita pra contar, de que comecei a escrever poesia com nove anos, ou que respiro porque escrevo. Sempre gostei muito de ler, e sempre gostei muito de contar histórias, mas escrever, escrever mesmo, só se tornou recorrente quando me prontifiquei a materializar esse projeto, que hoje é meu, mas também é das minhas amigas, que tanto insistiram e me fizeram prometer que ele existiria. Mas vejo, nesse pouco tempo, que comecei a passar minhas ideias e histórias para o papel, como isso tem me feito bem, e tem me ajudado nessa busca diária de me tornar um ser humano melhor, mais cheia de alma, e mais cheia de calma, percebo como isso tem me feito enxergar o que antes não via, e observar o comportamento das pessoas infinitas vezes mais que antes. Meus escritos sempre tem muito de mim, mas também tem muito do que eu observo, ouço, aprecio e absorvo por aí, um pouco fruto da realidade, um tanto fruto da imaginação. Designer de Moda por formação, sempre pronta pra me reinventar e começar de novo, graças a Deus ideias e sonhos não tem prazo de validade, e nem limite de utilização. Sou privilegiada pelas muitas “famílias” que tenho e que ganhei ao longo dos meus vinte e poucos, me sinto especial quando percebo o tanto de gente incrível me rodeia, e são esses seres mágicos, os lugares, os cheiros, gostos, os sabores, as dores, e as alegrias, os sonhos e as realizações, o dia-a-dia e o excepcional que me inspiram e servem como fonte infinita para escrever e contar pra vocês um pouquinho de como eu enxergo esse mundão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *