Festa dos anos 2000


Quando eu era mais nova achava um máximo aquelas festas temáticas, anos 60, 70, 80 e pensava que legal ter vivido nestas décadas e ter vivido isso pessoalmente. Pois bem, parece que o futuro chegou mais rápido do que eu previa e o que aconteceu, já temos a festa dos anos 90 e 2000.

E quem estava nas baladas nesta época, euzinha e minhas migas, e dizíamos assim, essa música vai tocar na festa dos anos 2000, mas rindo claro, porque ia demorar muuuuiito para chegar.


Daí o que acontece, o futuro chegou e as novas gerações estão pensando o que? “que legal ter vivido nestas décadas e ter vivido isso pessoalmente”, e então percebemos que a idade bateu, e que nossa década de balada já virou festa temática.

 

Ajude o Quem diria gurias a crescer e compartilhe este post nas redes sociais!

Você também pode gostar:

 

Bom, não tem mais jeito, já estou perto de completar 3 décadas, então isso iria acontecer naturalmente (mas que dói um pouquinho admitir, isso dói). E o que tocava nas festas dos anos 2000?

Ahh, nossa balada era muito divertida, tocava de tudo um pouco, muita música pop internacional, reggae, hip hop, pagodinho pra dançar “garrado” e no final da festa um funk “não ostentação”.

Então pra quem é dessa geração, ou pra quem quer saber o que tocava nos anos 2000, preparei uma playlist nostalgia, que vale a pena ouvir, ou botar pra tocar se você vai fazer uma festinha!

Festa dos anos 2000

Eu fiz a playlist no Deezer porque o Spotify tá de palhaçada comigo desde que cheguei aqui na Europa, fica dizendo pra eu aproveitar a viagem e não tem jeito de logar, então espero que gostem e sintam a nostalgia que rola!

As festinhas eram muuito boas e o povo dançava muito, todos os hits com coreografias! Saudade define!

Então espero que tenham gostado, e se alguém lembrar de mais músicas compartilha aqui com a gente!

Nos sigam lá gente

Insta – @quemdiriagurias

Fanpage – Quem diria gurias

Insta Camila – @lilanomundo




Camila Amaral

Sobre Camila Amaral

Não tenho uma história bonita pra contar, de que comecei a escrever poesia com nove anos, ou que respiro porque escrevo. Sempre gostei muito de ler, e sempre gostei muito de contar histórias, mas escrever, escrever mesmo, só se tornou recorrente quando me prontifiquei a materializar esse projeto, que hoje é meu, mas também é das minhas amigas, que tanto insistiram e me fizeram prometer que ele existiria. Mas vejo, nesse pouco tempo, que comecei a passar minhas ideias e histórias para o papel, como isso tem me feito bem, e tem me ajudado nessa busca diária de me tornar um ser humano melhor, mais cheia de alma, e mais cheia de calma, percebo como isso tem me feito enxergar o que antes não via, e observar o comportamento das pessoas infinitas vezes mais que antes. Meus escritos sempre tem muito de mim, mas também tem muito do que eu observo, ouço, aprecio e absorvo por aí, um pouco fruto da realidade, um tanto fruto da imaginação. Designer de Moda por formação, sempre pronta pra me reinventar e começar de novo, graças a Deus ideias e sonhos não tem prazo de validade, e nem limite de utilização. Sou privilegiada pelas muitas “famílias” que tenho e que ganhei ao longo dos meus vinte e poucos, me sinto especial quando percebo o tanto de gente incrível me rodeia, e são esses seres mágicos, os lugares, os cheiros, gostos, os sabores, as dores, e as alegrias, os sonhos e as realizações, o dia-a-dia e o excepcional que me inspiram e servem como fonte infinita para escrever e contar pra vocês um pouquinho de como eu enxergo esse mundão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *