Expectativas


         Expectativas, a maioria das pessoas sempre diz que é melhor não criá-las, pois elas decepcionam, machucam, elas causam traumas, cicatrizes, criá-las é abrir espaço para ilusões, ou ainda é acreditar no que não podemos confiar.

            Expectativas são como animais de estimação inusitados, como a tarântula que mesmo sem veneno causa dor ao picar seu dono, como a cobra que pode até parecer dócil, mas está sempre pronta para dar o bote, como o gato sorrateiro que rouba o salame de cima da mesa ao descuido de quem lhe da carinho. Mas quem os estima não pensa nessas possibilidades.

            Expectativas são como novas misturas sabores, bolacha doce com maionese, leite condensado no macarrão, açúcar na polenta, claro que pode não dar certo, mas pode dar e talvez você adore as combinações.

            Expectativas são como comprar roupa sem provar, é linda no manequim, a estampa arrasa, a cor é tendência, chegamos em casa e não veste bem, chegamos em casa e não tem o que combine, chegamos em casa e não dura a primeira lavada, é um risco que se corre, porém o contrário também tem chances de acontecer.

            Expectativas são como saltar de pára-quedas, talvez abra, talvez não, talvez caia, talvez não, talvez seja a melhor sensação da sua vida, ou talvez não, mas se você não saltar, nunca terá como saber.

            Expectativas tê-las ou não tê-las, eis a questão… Uma escolha que podemos fazer, e por mais que se corra o risco da decepção – que na verdade é inerente as expectativas – elas têm seu charme, te conquistam como os gatos, te despertam como o sabor novo, te seduzem como a roupa no manequim, te dão o frio na barriga do pára-quedas, então porque não criá-las, as expectativas não tem culpa, como encaramos as frustrações que elas podem causar sim.


Camila Amaral

Sobre Camila Amaral

Não tenho uma história bonita pra contar, de que comecei a escrever poesia com nove anos, ou que respiro porque escrevo. Sempre gostei muito de ler, e sempre gostei muito de contar histórias, mas escrever, escrever mesmo, só se tornou recorrente quando me prontifiquei a materializar esse projeto, que hoje é meu, mas também é das minhas amigas, que tanto insistiram e me fizeram prometer que ele existiria. Mas vejo, nesse pouco tempo, que comecei a passar minhas ideias e histórias para o papel, como isso tem me feito bem, e tem me ajudado nessa busca diária de me tornar um ser humano melhor, mais cheia de alma, e mais cheia de calma, percebo como isso tem me feito enxergar o que antes não via, e observar o comportamento das pessoas infinitas vezes mais que antes. Meus escritos sempre tem muito de mim, mas também tem muito do que eu observo, ouço, aprecio e absorvo por aí, um pouco fruto da realidade, um tanto fruto da imaginação. Designer de Moda por formação, sempre pronta pra me reinventar e começar de novo, graças a Deus ideias e sonhos não tem prazo de validade, e nem limite de utilização. Sou privilegiada pelas muitas “famílias” que tenho e que ganhei ao longo dos meus vinte e poucos, me sinto especial quando percebo o tanto de gente incrível me rodeia, e são esses seres mágicos, os lugares, os cheiros, gostos, os sabores, as dores, e as alegrias, os sonhos e as realizações, o dia-a-dia e o excepcional que me inspiram e servem como fonte infinita para escrever e contar pra vocês um pouquinho de como eu enxergo esse mundão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *