Curiosidades #Traje Acadêmico em Portugal


       Povo do meu core, então, hoje trago mais uma curiosidade que acho que vocês gostarão de conhecer, quando cheguei a Leiria, que é a cidade que estou morando, de cara me chamou a atenção uma certa movimentação de jovens vestidos de preto, com capas, e vários outros enfileirados, com roupas normais, que passavam à noite na rua.

       Juro que na hora pensei que eram adoradores do Harry Potter, e agora pesquisando para contar pra vocês, descobri um post muito legal que brinca com isso. Vou deixar o link bem grande porque vale a pena conferir!

http://orapois.blogfolha.uol.com.br/2016/08/01/cinco-ligacoes-entre-portugal-e-harry-potter/

       Mas vamos lá, a roupa preta do Harry Potter, trata-se do “Traje Académico” (com acento agudo aqui em PT) dos universitários portugueses, e é algo muito diferente, pelo menos para mim, brasileira, então vou contar um pouquinho do porque eles usam esta roupa e também alguns costumes (bem estranhos) dos estudantes daqui.

Traje Académico

Os Trajes Académicos (tô tentando, mas é difícil me acostumar com esse acento agudo, hehe), tem origem nas batinas eclesiásticas, e sempre foram compostos de capa e batina, isso confirma que a igreja sempre teve influência na educação, o traje não é obrigatório, mas antigamente haviam cores que não podiam ser usadas, no século XIX o traje começa sofrer alterações e ficar mais parecido com o que eles usam nos dias de hoje, e para que isso funcionasse começaram a ser criadas as Praxes Académicas, que nada mais são do que as “regras” dos acadêmicos, como os nossos brasileiros “Diretórios Acadêmicos” (agora com circunflexo porque é Brasil).

       De forma geral o traje foi implantado para que os estudantes fossem todos iguais dentro do ambiente de estudo, não havendo diferenciação de classe social, raça ou opções religiosas, sendo o conhecimento a única coisa que poderia causar um desnivelamento. Hoje em dia claro que existem novas teorias sobre o traje, polêmicas em torno das praxes que não permitem que  os caloiros (com i mesmo!) não usem-no, assim como uma tendência modista, que tira o foco da ideia original do traje.

        Mas isso são poréns que não cabem a mim analisar, quem ficou curioso e quiser saber um pouquinho mais temos este e este links, que contam sobre as praxes, suas exigências, sobre como o traje evoluiu, se modificou e chegou ao que é agora, para que fique claro passamos por estudantes com o traje o tempo todo nas cidades onde há Faculdades/Universidades, por isso vou colocar alguns instas para vocês verem, a hashtag #trajeacademico tem muitos posts lá.

"Dura Praxis, Sed Praxis" #durapraxissedpraxis #édapraxe #trajeacademico #megapraxedeletras

A post shared by Maria Castro (@fatinhaacastro) on

       Divertido neh?? Eu achei muito legal, gente tem muitas outras coisas interessantes que eles fazem aqui, mas acho que esse post vai ficar muuuuuito grande, e não gosto de posts muuuuuito grandes porque eles cansam a vida da gente neh, então se vocês quiserem saber mais comentem e perguntem que eu conto pra vocês!

       Para completar, o show de encerramento da semana acadêmica foi do Gabriel, o pensador, e eu fui lá conferir, e adivinhem, conheci essas queridas que aceitaram tirar fotinho comigo!

https://www.instagram.com/dianaalves1990/ https://www.instagram.com/vjbcha/

E aqui com a @vjbcha e a @dianaalves1990

Um Beijo

Camila Amaral

Nos sigam lá gente

Insta – @quemdiriagurias

Fanpage – Quem diria gurias

Insta Camila – @lilaemsanta


Camila Amaral

Sobre Camila Amaral

Não tenho uma história bonita pra contar, de que comecei a escrever poesia com nove anos, ou que respiro porque escrevo. Sempre gostei muito de ler, e sempre gostei muito de contar histórias, mas escrever, escrever mesmo, só se tornou recorrente quando me prontifiquei a materializar esse projeto, que hoje é meu, mas também é das minhas amigas, que tanto insistiram e me fizeram prometer que ele existiria. Mas vejo, nesse pouco tempo, que comecei a passar minhas ideias e histórias para o papel, como isso tem me feito bem, e tem me ajudado nessa busca diária de me tornar um ser humano melhor, mais cheia de alma, e mais cheia de calma, percebo como isso tem me feito enxergar o que antes não via, e observar o comportamento das pessoas infinitas vezes mais que antes. Meus escritos sempre tem muito de mim, mas também tem muito do que eu observo, ouço, aprecio e absorvo por aí, um pouco fruto da realidade, um tanto fruto da imaginação. Designer de Moda por formação, sempre pronta pra me reinventar e começar de novo, graças a Deus ideias e sonhos não tem prazo de validade, e nem limite de utilização. Sou privilegiada pelas muitas “famílias” que tenho e que ganhei ao longo dos meus vinte e poucos, me sinto especial quando percebo o tanto de gente incrível me rodeia, e são esses seres mágicos, os lugares, os cheiros, gostos, os sabores, as dores, e as alegrias, os sonhos e as realizações, o dia-a-dia e o excepcional que me inspiram e servem como fonte infinita para escrever e contar pra vocês um pouquinho de como eu enxergo esse mundão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *