Conhecer, meu verbo favorito


       O que tu mais gosta de fazer? As pessoas perguntam eventualmente, ou em uma entrevista de emprego, ou quando você preenche um formulário de curso. Fico pensativa quando preciso dar essa resposta, gosto de fazer muitas coisas. Até me faltam horas livres para fazer tudo que gosto.

            Adoro galopar a cavalo em um campo aberto, gosto de ler um bom livro, gosto de conversar com minhas amigas, de cozinhar, de comer, gosto de beber cerveja, de costurar uma peça de roupa, gosto de pesquisar um novo artesanato, e de fazê-lo, gosto de ir a um pub, e de jogar cartas, todos verbos, que resultam em ações que gosto muito.

            Mas se eu tivesse que escolher apenas um, seria conhecer, pessoas e lugares, sabores e cheiros, conhecer, experimentar qualquer sensação pela primeira vez, é a coisa que mais gosto de fazer na vida, conhecer a história de vida totalmente nova de alguém, olhar a paisagem de um lugar pela primeira vez, colocar na boca um sabor nunca imaginado, sentir um perfume totalmente diferente, não consigo pensar em algo que dê mais satisfação.

            Dominar, compreender, entender, perceber, saber, analisar, explorar, ver, notar, apreender, aprender, sentir, inteirar-se, informar-se todos sinônimos de conhecer, todos descrevendo todos os aspectos do quanto conhecer é gratificante e tentador, do quanto conhecer tem a ver com alimentar a vida de vivências, de alimentar a alma com sensações.

            Que conhecer o simples e o luxuoso, o barato e o caro, o museu e a favela, a serra e a praia, o doce e o amargo, o bonito e o feio, o claro e o escuro, o prazer e a dor, seja sempre o suficiente para despertar felicidade, pois não importa se você tem muito ou pouco, o que importa é o quanto você está disposto a conhecer, o mundo, o outro, você.

Um Beijo

Camila Amaral

Nos sigam lá gente

Insta – @quemdiriagurias

Fanpage – Quem diria gurias

Insta Camila – @lilaemsanta


Camila Amaral

Sobre Camila Amaral

Não tenho uma história bonita pra contar, de que comecei a escrever poesia com nove anos, ou que respiro porque escrevo. Sempre gostei muito de ler, e sempre gostei muito de contar histórias, mas escrever, escrever mesmo, só se tornou recorrente quando me prontifiquei a materializar esse projeto, que hoje é meu, mas também é das minhas amigas, que tanto insistiram e me fizeram prometer que ele existiria. Mas vejo, nesse pouco tempo, que comecei a passar minhas ideias e histórias para o papel, como isso tem me feito bem, e tem me ajudado nessa busca diária de me tornar um ser humano melhor, mais cheia de alma, e mais cheia de calma, percebo como isso tem me feito enxergar o que antes não via, e observar o comportamento das pessoas infinitas vezes mais que antes. Meus escritos sempre tem muito de mim, mas também tem muito do que eu observo, ouço, aprecio e absorvo por aí, um pouco fruto da realidade, um tanto fruto da imaginação. Designer de Moda por formação, sempre pronta pra me reinventar e começar de novo, graças a Deus ideias e sonhos não tem prazo de validade, e nem limite de utilização. Sou privilegiada pelas muitas “famílias” que tenho e que ganhei ao longo dos meus vinte e poucos, me sinto especial quando percebo o tanto de gente incrível me rodeia, e são esses seres mágicos, os lugares, os cheiros, gostos, os sabores, as dores, e as alegrias, os sonhos e as realizações, o dia-a-dia e o excepcional que me inspiram e servem como fonte infinita para escrever e contar pra vocês um pouquinho de como eu enxergo esse mundão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *